Projeto EASYTALK

Projeto EASYTALK

Projeto EASYTALK

Alguns especialistas internacionais na área do Turismo apontam que a “Supervia de Informações” está tendo uma crescente importância para o negócio do turismo. Assim, telefones podem acessar diretamente os fornecedores de serviços turísticos, acelerando processos e reduzindo custos. Entretanto, se observarmos a natureza dos serviços já oferecidos utilizando-se de telefones, rádios ou mesmo a web, veremos que os mesmos já podem ser considerados quase que tradicionais e mesmo de baixo nível de inovação. O nosso projeto tem como objetivo utilizar principalmente a tecnologia móvel existente para atender a um determinado público alvo de uma maneira completamente diferente dos padrões atuais.

Entretanto, uma análise mais atenta das estatísticas relacionadas ao turismo e aos turistas, pode nos levar à conclusão que o verdadeiro sujeito do turismo, isto é, o TURISTA, é ainda um ser bastante desprotegido e fragilizado, principalmente se considerarmos o turismo internacional.

A demanda turística internacional parece nos indicar a existência de um vasto e inexplorado mundo de serviços que tirem do turista a condição de isolamento e de fragilidade, mesmo quando cercado de pessoas. A infra-estrutura de apoio  ao turista, principalmente nos países emergentes de língua não inglesa, encontra na barreira da língua um dos seus maiores obstáculos, até que contornável em se tratando de ambientes “controlados” tais como hotéis e restaurantes de melhor nível.

Entretanto, situações corriqueiras, como as de recorrer a um táxi, podem deixar o turista literalmente nas mãos não só da honestidade e do profissionalismo do motorista, mas, sobretudo da fluência do mesmo relativamente à língua falada pelo usuário do serviço.

É importante destacar que mais de 50% dos turistas internacionais que visitam o Brasil não falam o português nem o espanhol (mesmo imaginando a relativa semelhança entre essas duas línguas).

Se observarmos que, segundo o Ministério do Turismo, cerca de 50% dos turistas internacionais visitam o Brasil a lazer (não possuindo, em princípio, contatos que lhes sirvam de apoio em situações especiais ou mesmo de emergência); que 65% não se utilizam de agências de viagens (importantes pontos de referência quando das situações mencionadas anteriormente); que mais de 40% viaja sozinho (não tendo a família como elemento de apoio) e, finalmente, que quase 25% (um em quatro) dos turistas possuem acima de 51 anos, pode-se imaginar o campo aberto para serviços que pelo menos reduzam a possibilidade de situações de desconforto ou mesmo de risco à segurança dos turistas com tal perfil.

Por outro lado, dados relativos a avaliações feitas pelos turistas internacionais quando em viagem ao Brasil, indicam que os itens “segurança pública”, “telecomunicações” e “sinalização turística” estão dentre os de maior insatisfação. Complementarmente, no que se refere aos serviços turísticos, destaca-se o índice de cerca de 20% de insatisfação com as informações turísticas.

O EASYTALK é um sistema de comunicação multilíngüe, que objetiva tirar os viajantes/turistas, brasileiros e estrangeiros, da posição de fragilidade em que se encontram, principalmente ao viajarem para locais desconhecidos ou mesmo pouco conhecidos. Esse sentimento de fragilidade, confirmado pelas diversas pesquisas realizadas, é consideravelmente agravado ao se tratar de turistas estrangeiros que não falam a língua local. Contendo também um módulo de gestão, o EASYTALK representa uma quebra de paradigma na área da comunicação entre pessoas que não falam a mesma língua.

O EASYTALK pode ser acionado de qualquer aparelho de telefonia celular ou fixa, bem como  por equipamento de rádio (que tenha a mesma função do celular). Este dispositivo fará acesso a um Centro de Atendimento multilíngue, com o objetivo de solucionar o problema de interlocução entre duas pessoas falando diferentes idiomas e que sejam  incompreensíveis a ambas. A quebra de paradigma está no fato de que as soluções tradicionalmente utilizadas até aqui partem do princípio da necessidade de que os interlocutores do diálogo falem a mesma língua.

Cliente previamente cadastrado terá acesso às informações solicitadas, via telefone, através de atendentes multilingues especialmente selecionados, treinados e apoiados por plataforma tecnológica desenvolvida. Inicialmente, além do português, haverá atendentes fluentes em inglês para atender situações relacionadas com os seguintes temas: câmbio, taxis, hospitais e clínicas, pontos turísticos e restaurantes. Diferentemente dos conhecidos “callcenters”, os Centros de Atendimento EASYTALK serão localizados nas cidades nas quais os serviços serão oferecidos, permitindo um maior conhecimento pelos atendentes das informações prestadas.

Como o EASYTALK será também oferecido aos viajantes brasileiros, o número de acesso ao sistema, quer pelo viajante quer pelo prestador de serviço, corresponderá ao atendimento por atendentes na língua portuguesa.

É importante ter em mente que um número de telefone específico direciona o viajante para o setor da Central de Atendimento correspondente à língua desejada. Como já mencionado, tecnicamente não há nada que impeça a ampliação do número de línguas.

Ressalte-se, uma vez mais, que o EASYTALK tem como foco o aumento da segurança, do conforto e da qualidade percebida por viajantes (nacionais e estrangeiros), bem como facilitar a obtenção de informações essenciais, também com qualidade, agilidade e segurança.

A lógica EASYTALK é simples: inverter o paradigma de ensinar  outras línguas a massas de profissionais em curto prazo e melhorar a qualidade das informações prestadas a viajantes.

A utilização do EASYTALK apresenta vantagens a todos os agentes envolvidos, abrindo assim oportunidade para relações especiais com o EASYTALK em função da participação e dos interesses desses mesmos agentes.

Para os investidores o Sistema EASYTALK representa a participação num empreendiento altamente rentável e com a possibilidade do estabelecimento do que denominamos de Parcerias de Propósito Específico (PPEs) com interessantes espaços para a participação dos parceiros do EASYTALK.

Para o usuário o Sistema EASYTALK apresenta-se, nos temas abrangidos pelos “clusters” oferecidos, como um verdadeiro “concierge a distância”, sem  que se precise estar  na presença do mesmo, aguardar numa fila (que é sempre grande, principalmente em situações de emergência) ou contar com seu vasto conhecimento e memória relativos a temas de grande abrangência. Por último, mas não menos importante, em situações de emergência (médica ou de segurança), fora do ambiente de um hotel, o EASYTALK é um instrumento de auxílio incomparável.

No Comments

Post A Comment

um + 3 =