Workshops de Gestão Estratégica em Telecomunicações

27 mai Workshops de Gestão Estratégica em Telecomunicações

Workshops de Gestão Estratégica em Telecomunicações

Workshop # 1 – CENÁRIO TECNOLÓGICO DE CONVERGÊNCIA TIC (12 horas-aula)

Objetivo: a partir dos antecedentes históricos do desenvolvimento das tecnologias de informática e de telecomunicações, obter uma visão da situação atual e  de curto prazo da convergência dessas tecnologias, com seus paradigmas tecnológicos dominantes.

  • Antecedentes e história recente
  • Cenário atual: papel das TIC como instrumento e consequência do processo de globalização – Interação e alinhamento das TIC com o ambiente de negócios. Função das TIC no ambiente corporativo – Qualidade, eficácia e competitividade através de produtos e processos de negócios instrumentados pela tecnologia.
  • Cenário da Internet – Novos padrões emergentes – IP v6
  • E-business
  • Convergência no paradigma IP e seus efeitos – Voz e vídeo sobre IP, videoconferência na Web, etc.
  • Cloud Computing
  • Virtualização
  • Mobilidade, portabilidade – BYOD – Padrões correntes e emergentes – WiFi, WiMax, 4G, etc.)
  •  Internet das Coisas
  • Big Data
  • Multimídia
  • Redes Sociais
  • Aspectos de Infraestrutura
  • Aspectos de Segurança

Workshop # 2 – CENÁRIO POLÍTICO-REGULATÓRIO DA CONVERGÊNCIA TIC (12 horas-aula)

Objetivo: Os mercados de telecomunicações e de informática têm, em suas origens, dinâmicas político-regulatórias bastante diferenciadas e essa diferenças, tanto no quadro global, quanto em âmbitos nacionais, constituem parte essencial do cenário que permite entender os processos de convergência que caracterizam o momento atual de seu desenvolvimento e seu emprego. Nesta unidade, procuraremos explorar esse cenário.

  • Cenário Internacional: o quadro político internacional e suas implicações sobre TI e Telecom – Globalização – A regulação da Internet – As questões Geopolíticas mais importantes e seu impacto: implementação das grandes redes, serviços e aplicações transnacionais, públicas e privadas –  Redes e serviços de comércio eletrônico e transferência eletrônica de fundos –  Questões de extraterritorialidade – Interfaces e implicações com as legislações e regulamentos nacionais – Combate ao terrorismo – Organizações estrangeiras e internacionais relevantes para o ambiente TIC. Normas e regulamentos internacionais. Aspectos de interconexão – O caso da monitoração de chamadas pelo governo Americano. Aspectos de renovação das concessões (ativos, renegociação, etc.) Diferentes forma de exploração de serviços públicos de telecomunicações.
  • Cenário Brasileiro; o quadro político e regulatório relevante para TIC – Políticas Industrial, científico-tecnológica e de comércio exterior –  Tarifas de importação sobre bens de informática – Regulamentos relacionados à caracterização e homologação de software brasileiro e seus efeitos – Regulamentação de Telecomunicações – Lei Geral de Telecomunicações – Entidades e organizações (governamentais e privadas) com atuação relevante para TIC. Normas e regulamentos brasileiros – O papel e a atuação da ANATEL – Código de Defesa do Consumidor – Postura dos clientes frente aos órgãos reguladores e de defesa do consumidor e às redes sociais como mecanismo de pressão e as estratégias das operadoras na busca de maior qualidade percebida pelos usuários finais. As grandes macroaplicações públicas: Inclusão digital, TIC na saúde, na educação, na segurança pública, etc.

Workshop # 3 – CENÁRIO INDUSTRIAL E COMERCIAL DA CONVERGÊNCIA TIC (12 horas-aula)

Objetivo: Nesta unidade, procuraremos mapear a dinâmica industrial, comercial e de serviços que instrumenta e permite construir o cenário de implementação efetiva das soluções, ferramentas e aplicações integradas das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) em nossos dias.

  • Os grandes players da indústria de informática e telecomunicações, internacionais e brasileiros: operadoras, indústrias de telecomunicações, indústrias de hardware, indústrias de software, indústria de microeletrônica.
  • Aspectos de concentração econômica em Telecomunicações
  • A indústria de software brasileira – As pequenas e médias empresas e o aparecimento de alguns grandes players. Competitividade das empresas brasileiras de software – Diferenças de modelos de negócio: fábricas de software e empresas de produtos de software.
  • Impacto da convergência sobre a competitividade das empresas de telecomunicações: o caso da telefonia interurbana e internacional frente à competição da telefonia IP.
  • A emergência de novos modelos de negócios – As diversas formas de prestação de serviços, internalizadas e baseadas na nuvem
  • Talentos humanos como ativo estratégico – Questões de formação e capacitação. O novo profissional de TI e o novo CIO, no contexto da inovação ancorada em TIC.
  • Aspectos de terceirização, local e offshore.
  • Aspectos de Qualidade, gestão, governança – Certificações de Qualidade e conformidade e seu papel como indicadores da Qualidade e maturidade no desenvolvimento, operacionalização e entrega de processos e serviços tecnológicos.
  • Os usuários brasileiros e seus requisitos – Aquisições de bens e serviços TIC por clientes privados e governamentais – Gestão do nível de serviço, do ponto de vista da organização contratante.
  • Especificação de sistemas de informação, métricas para avaliação de esforço de desenvolvimento – Fatores humanos, ergonomia, usabilidade. Teste e aceitação de software.

Workshop # 4 – GESTÃO E TECNOLOGIA DE SOFTWARE (12 horas-aula)

Objetivo: Nesta unidade, examinaremos com um pouco mais de detalhe a indústria e a tecnologia de software, procurando compreender como as principais arquiteturas e soluções são tipicamente apropriadas pelas organizações usuárias. Dada a pervasividade e a proeminência do software como tecnologia, mercado e elemento estratégico de diferenciação dos próprios usuários, essa compreensão se torna fundamental para a elaboração de um cenário completo da convergência tecnológica em TIC.

  • O que é software? Conceitos fundamentais de engenharia de software
  • Qualidade no desenvolvimento do software Aspectos de desempenho e testes. Influencia das certificações e melhores práticas exigidas pelos clientes (como CMMI, MPS-BR)
  • Novas técnicas e metodologias de desenvolvimento de SW: agile, design thinking, desenvolvimento seguro, etc.
  • Software para plataformas alta e baixa
  • Linguagens de programação mais comumente usadas.
  • Arquiteturas de software de gestão típicos em usuários finais: ERPs, CRM, SRM, BI, soluções típicas para comércio eletrônico B2C, B2B, supply chain, cooperação empresarial instrumentada com TI. Websites e portais. Workflow e sistemas colaborativos.
  • Informação estruturada e não estruturada. Gestão de conteúdo e conhecimento.
  • Estruturas de dados – Bancos de dados.
  • A emergência dos sistemas transacionais e o desafio de extrair inteligência de grandes massas de dados – BI: ETL, Data Warehouses, data Mining, Big Data, Analytics, visualização.
  • Ambientes típicos de desenvolvimento de software – Software proprietário e software de código aberto – Sistemas operacionais – Arquiteturas cliente-servidor. Software web – Sistemas embarcados – Integração com mobilidade – Software para plataformas portáteis (smartphones, tablets)
  • Aspectos de segurança e privacidade.
  • Propriedade intelectual

Workshop # 5 – REDES E SERVIÇOS CORPORATIVOS TIC CONVERGENTES (12 horas-aula)

Objetivo: As redes e serviços corporativos de TIC constituem a manifestação prática da convergência no ambiente empresarial e cada vez mais as organizações dependem da eficiência e da confiabilidade de tais redes e serviços para sua competitividade e para a própria continuidade de sua operação. Esta unidade objetiva compreendê-los, principalmente pela perspectiva dos usuários, que os planejam, contratam, implementam e operam.

  • Redes corporativas – Planejamento e implementação de ponto de vista do usuário.
  • Integração de mídias, serviços, plataformas. Acesso à internet via serviços de banda larga, integração de ambientes privativos, redes locais de computadores, mobilidade, telefonia local e de longa distância, mensageria, serviços de voz e vídeo IP, etc.
  • Relacionamento com fornecedores de bens e serviços: operadoras, fornecedores de equipamentos e software, consultorias, serviços de suporte.
  • Gestão e operação da rede e dos serviços a usuários finais – SLAs – Gestão do nível de serviço – Planejamento de capacidade – QoS – Qualidade percebida pelo usuário final.

OFICINA # 6 – GESTÃO E GOVERNANÇA TECNOLÓGICA (12 horas-aula)

Objetivo: à medida que aumenta a importância das redes e serviços convergentes de TIC, cresce também a preocupação dos gestores com sua gestão eficaz e alinhada com os objetivos corporativos. A emergência de frameworks de melhores práticas traz critérios, orientações e benchmarks para gestão e governança de TIC. Esta unidade objetiva compreender tais frameworks, bem como sua apropriação no ambiente organizacional.

  • Gestão das funções de TI e Telecomunicações no ambiente corporativo
  • Alinhamento da estrutura de TI com os objetivos empresariais
  • Aspectos de autonomia das áreas de negócio para aquisição/desenvolvimento de ferramentas de TI para suporte de suas operações
  • Gestão de serviços – ITIL
  • Governança de TI – COBIT v5
  • Frameworks específicos para telecomunicações – TM Forum, ETOM
  • A lei norte-americana Sarbanes-Oxley e seus efeitos de extraterritorialidade.
  • Arquiteturas Empresariais – Visão geral da TOGAF
  • Gestão de riscos
  • Padrões e melhores práticas – Segurança – ISO 27000

 

Este post também está disponível em: Inglês

Sem Comentários

Adicione um comentário

quatro × dois =